Google+ Followers

quinta-feira, 8 de maio de 2014

DESAPEGO








      Aquele homem foi se dando conta que era preciso limpar armários e gavetas.

     Ele ainda estava bem, mas pela sua idade já avançada, imaginava não ter mais muito tempo de vida.
     Aposentado, viúvo, com os filhos casados, ele arrumou o seu canto. Queria ler, escrever, rezar e ter tempo para visitar os poucos amigos que lhe restavam.
     Gostava de passear pelo parque e, no final da tarde, tomar um café expresso pingado.
     Foi se conscientizando de que o tempo passava e começou a agir.
     Começou a limpar gavetas e armários. Queimou cartas e anotações. Telefonou para pessoas que lhe tinham causado dificuldades. Pediu perdão e perdoou. Escreveu cartas para os filhos que só seriam lidas depois de sua morte. 
     Seu quarto de dormir foi se assemelhando ao de um monge.
     Continuou a viver, mas livre de tudo o que se vai acumulando quase sem querer.

                                 


                                 Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM