Google+ Followers

sábado, 25 de fevereiro de 2012

LÍNGUA FALADA X LÍNGUA ESCRITA







      "SOLUIZIUARROISCABÔ"


      Estranhou?
      Leia em voz alta.
      Entendeu?

      Este foi o bilhete que o colono mandou entregar ao seu patrão.
      Linguisticamente falando, esta construção está correta considerando que o objetivo fundamental da Língua é a "comunicação."


      Por muito tempo, guardei este e muitos outros bilhetes que foram enviados ao senhor Aloísio, fazendeiro em Natividade. 

      Trata-se de uma simples transposição para a escrita da maneira de falar de um homem tão somente alfabetizado.

      Observe que o enunciado possui um vocativo e um verbo e veicula uma informação completa, embora as palavras estejam escritas todas juntas.

      No dia seguinte, o senhor Aloísio foi levar-lhe o arroz que havia acabado.

      Marly, esposa de Aloísio, é quem os levou para mim. Éramos colegas de trabalho e contei-lhe sobre a primeira aula de Linguística a que assisti na Faculdade em 1972.

      O professor citou frases do tipo  "Us menin taí?", "Tô com dor nas perna", "Acabemo de chegá"... mostrando-nos que, quanto ao aspecto da comunicação, estavam corretas.

      Após a primeira aula, decidi não mais voltar à Faculdade. Lá fora eu buscar maiores conhecimentos da Língua Portuguesa (de lá para cá, já os perdi em quantidade!) e o que encontro, meu Deus?

      Mudei de ideia. Voltei e concluí o curso.

      Agora, tomo conhecimento de um livro, devidamente aprovado pelo MEC, que será ou já foi, distribuído às Escolas Estaduais. Será colocado nas mãos de alunos do segundo segmento.

      Gostaria de folheá-lo.
      Até agora, o que sei a respeito é o que encontrei na Internet há algumas semanas: grande quantidade de professores, jornalistas, escritores e linguistas de todo o País manifestando sua indignação em relação ao novo livro.

      O Estado do Ceará foi taxativo: aqui ele não será distribuído.

      Arnaldo Niskier, ex-Secretário de Educação do Estado do Rio de Janeiro redigiu um texto contundente ao qual deu um título mais ou menos assim "Por um Brasil Pior."


          O aluno já está familiarizado com a língua falada que é, quase sempre, informal, incorreta, dependendo enormemente do ambiente familiar, do círculo de amigos...

      Ele sabe (se não souber, será um problema): na Escola, aprenderá a Língua Culta que é vinculada a normas a serem obedecidas não só na escrita mas, tanto quanto possível, na língua falada também.

      Ensinar a Língua Portuguesa a partir dos erros contidos na língua falada é o que propõe o livro intitulado "Por uma Vida Melhor" (Coleção "Viver, Aprender").

      Como será o método utilizado pelo professor? Estou ansiosa por descobrir! Vai ver que dá certo... Será?

      Enquanto um assunto de interesse nacional pouco é comentado nos noticiários, o BBB 12, com toda sua futilidade, não sai da boca do povo!












Nenhum comentário: